política de segurança da informação
Home » Blog » Política de segurança da informação: o que é e quais são?

Política de segurança da informação: o que é e quais são?

postado em: Blog

Você sabe o que são e conhece as políticas de segurança da informação?

Nos dias de hoje, a tecnologia é o carro chefe de muitos negócios, em qualquer segmento. Não importa qual seja o porte de uma empresa, a dependência da conectividade atualmente é muito grande.

Por isso e pelo fato dos principais sistemas do mercado serem operados em computadores, existe a necessidade de haver uma política de segurança da informação dentro das empresas.

Nos últimos tempos, vem sendo impulsionados os investimentos para ambientes de TI mais seguros, e a política de segurança da informação é justamente focada nisso, já que se trata de um conjunto de normas e diretrizes destinadas a todos os colaboradores que façam uso dessa infraestrutura.

O objetivo de implantar a política de segurança da informação é garantir a proteção e segurança de informações corporativas, evitando qualquer ameaça que possa trazer malefícios à sua operação.

Como o mundo corporativo está mais tecnológico a cada dia, é muito improvável encontrar uma empresa consolidada que opere sem o uso desses recursos, ou que não armazenem os seus dados digitalmente.

Uma política de segurança da informação é a ferramenta mais eficaz para a proteção desses dados, que na maioria das vezes são sigilosos e de extrema importância para a empresa.

Já se tornou questão de primeira necessidade manter esse cuidado com informações sensíveis, gerenciando assim os possíveis riscos de vazamento. 

Mas como funciona uma política de segurança da informação exatamente? Entenda melhor quais são as opções e por que é tão importante implantar essa política na sua empresa.

Quais são as políticas de segurança da informação?

Como as políticas de segurança da informação são medidas de proteção a informações da empresa, essa metodologia precisa ser implementada através de alguns conceitos básicos.

São esses conceitos que irão garantir que cada variável tenha a sua devida importância, sem tirar o foco do objetivo principal: aumentar a proteção dos sistemas de informação.

As políticas mencionadas são: confidencialidade, integridade e disponibilidade. Cada uma delas aponta uma postura necessária dentro da empresa, o que exige esforços pontuais para que estejam sempre em vigor.

quais são políticas de segurança da informação

Quais as características da segurança da informação?

Para entender melhor as políticas de segurança da informação, conheça as características de cada uma delas.

Confidencialidade

A confidencialidade, dentro da segurança da informação, é a garantia de que essas informações no seu sistema são acessíveis apenas a quem tenha de fato acesso autorizado. 

Quando uma informação confidencial é acessada por alguém sem autorização prévia, seja com ou sem intenção, existe a quebra da confidencialidade, e essa quebra pode gerar danos muito sérios não só para a empresa, como também para os seus clientes.

Muitas instituições, especialmente as financeiras, detém, por exemplo, os dados pessoais e bancários dos seus usuários, e o acesso pode gerar transtornos e prejuízos incalculáveis.

Partindo desse princípio, a confidencialidade é certamente a característica mais importante das políticas de segurança da informação.  

Integridade

Se uma empresa retém dados, o seu maior dever é mantê-los seguros, preservando a confiabilidade, para que não ocorram erros ou até mesmo sanções penais.

Para isso, é necessário garantir a integridade, adotando toda a precaução e ética precisa para que as informações não sofram modificações ou sejam eliminadas sem autorização prévia, mantendo-se legítimas e consistentes.

Se houver falha na integridade, seja através de uma falsificação, acesso indevido ou alteração, os impactos podem ser muito negativos.

Disponibilidade

A relação entre a segurança de informações e a disponibilidade é garantir que esses dados possam ser acessados sempre que preciso.

É importante que os membros da empresa e seus colaboradores possam ter acesso autorizado de forma prática, segura e eficiente.

Dentro do contexto corporativo, essa disponibilidade de informações é primordial, já que o funcionamento de um negócio pode depender diretamente desse acesso para a realização de vendas, fechamento de contratos ou atendimento ao cliente.

Pense no tamanho do prejuízo que teria uma empresa que realiza vendas ao sofrer um ataque em sua base de dados, tendo o sistema derrubado e fora do ar por um dia inteiro ou mais. É prejuízo certo à imagem e ao financeiro da corporação. 

Os dados precisam estar sempre disponíveis.

Qual norma corresponde à segurança da informação?

A norma internacional de correspondência à segurança da informação é a ISO/IEC 27001. 

Ela determina como praticar um sistema de gerenciamento de segurança da informação certificado e avaliado de modo independente.

Quem aprova a política de segurança da informação?

A política de segurança da informação deve ser aprovada pela diretoria, mas também pelo RH da empresa, que é o setor responsável por analisar os documentos e autorizar suas premissas, levando em consideração as leis trabalhistas e o manual interno dos funcionários da instituição.

Uma política de segurança da informação precisa atender todos os requisitos da empresa. 

Por isso essa análise deve ser feita não apenas pelos profissionais de TI, como por todos os setores principais, incluindo diversas equipes, já que a política será aplicada a todos os funcionários.

Quais são as exigências de uma política de segurança da informação?

Os três pilares da política de segurança da informação são aqueles citados anteriormente: confidencialidade, integridade e disponibilidade, também popularizados como CID.

Qual a função de uma política de segurança da informação?

A informação é um dos bens mais importantes de qualquer empresa, em qualquer segmento. 

Hoje em dia, o mercado precisa lidar com uma quantidade avassaladora de informação, e quanto maior essa demanda, maior a atenção que precisa ser dada ao seu manuseio.

Infelizmente, com o aumento de dados armazenados por empresas, cresceu também o número de ataques à integridade dos sistemas, gerando riscos das informações serem perdidas, corrompidas, ou mesmo acabarem parando na concorrência. 

Tudo isso gera prejuízos inestimáveis.

Com uma política de segurança da informação bem implementada e planejada, esses riscos se reduzem drasticamente, oferecendo à empresa a proteção segura contra ameaças internas ou qualquer tipo de falha de segurança. 

A função dessa política, portanto, é proporcionar à organização essa proteção e minimizar os seus riscos e danos.

Quais são 3 fatores para uma boa implantação de uma política de segurança da informação?

Os princípios básicos da política de segurança de informação são, como explicamos, a confiabilidade, a integridade e a disponibilidade.

A confiabilidade está relacionada ao sigilo, a integridade está relacionada à alteração de dados e a disponibilidade está relacionada ao seu acesso.

Ao determinar essas normas e diretrizes e comunicar aos colaboradores, se garante que todo o time saiba a importância de adotar a postura esperada no momento de lidar com a confidencialidade de dados, prevenindo qualquer violação acidental ou não.

Quando implantada a política de segurança de informação, a eficiência e a transparência de um negócio são elevadas, como consequência natural, mas para isso a política deve ser o mais clara possível para todos os colaboradores. 

É preciso seguir um padrão, em todos os setores da empresa, para que seja facilitado o processo em qualquer escala. A execução correta dessas regras de segurança leva à redução imediata de danos.

como definir política de segurança da informação

Como desenvolver uma política de segurança da informação?

Essa política se desenvolve por meio de uma metodologia, seguindo os três conceitos básicos já citados. 

É preciso, para desenvolver a política de segurança corretamente, realizar um estudo e planejamento para que ela possa ser adaptada à empresa e cumprir a sua função.

A elaboração da PSI depende de algumas ações e cuidados prévios que irão criar a estrutura necessária e a cultura adequada para que todos os colaboradores possam lidar com o conceito e com as ferramentas.

Saiba alguns dos pontos que merecem atenção sobre o desenvolvimento dessa política.

Ferramentas necessárias e definição 

Como já mencionado, uma política de segurança da informação, para funcionar, precisa atender e se adequar aos requisitos da empresa. 

Nessa etapa, que deve abranger todas as equipes, são definidos quais serão os processos e tarefas que poderão ser modificados para que a segurança esteja garantida. Por exemplo:

  • implementação de regras para a utilização de senhas de acesso
  • planejamento e criação de planos de gerenciamento de riscos
  • definição de políticas de atualização dos softwares
  • definição de normas para o acesso às informações de profissionais

Classificação de dados

A classificação dos dados é outra etapa importante no desenvolvimento de uma PSI. 

Essa classificação separa e classifica dados secretos, confidenciais, internos e públicos.

Essa ação é importante porque, dependendo da empresa, um mesmo dado pode ter mais do que uma classificação.

Para boa parte das empresas, nos mais variados segmentos, dados que estão relacionados ao balanço e faturamento são confidenciais e fazem parte da parte estrategista do negócio. 

Já as sociedades de capital aberto não possuem sigilo para essas informações, já que cada investidor precisa ter o conhecimento desses números.

É através da classificação de dados que os níveis de acesso são definidos para cada colaborador, com o rigor para o manuseio dos dados devidamente estabelecido.

O que precisa ser feito antes de se definir uma política de si?

Agora que você já entende o por que é importante para uma empresa implantar uma política de segurança da informação, saiba quais são as etapas até lá.

Estudo do perfil da empresa

É preciso realizar um estudo e levantamento de qual é o perfil da sua empresa, para garantir que a PSI possa ser adequada à ela.

Planejamento 

O planejamento precisa ser feito para que nele seja incluído o objetivo da política e a determinação dos responsáveis, além de prazos para as conclusões determinadas. 

Nesse planejamento é analisado tudo o que deve ser assegurado e protegido, seja em relação ao tráfego interno ou externo.

Elaboração de normas 

Nessa etapa, são criadas as normas e proibições referentes ao uso de programas, dispositivos móveis, internet e acesso às redes e dados da empresa.

Alinhamento com as políticas da empresa

Antes de instaurar uma PSI, estude também as demais políticas da sua empresa, para analisar o que precisa ser atualizado para que tudo esteja devidamente alinhado ao colocar as inovações em vigor.

Treinamento dos colaboradores

Ao implantar a política de segurança da informação, comunique todos os seus funcionários, de preferência entregando a cada um deles uma cópia desse documento. 

Ofereça um treinamento adequado e prático para a apresentação dos objetivos e pontos principais.

A política deve ser acessível para todos os funcionários, e todos eles devem fornecer uma assinatura em declaração de comprometimento ao final desse treinamento.

Avaliação periódica

A política de segurança em uma empresa deve ser constantemente avaliada e revisada, para que possa ser atualizada sempre que necessário. 

A segurança da informação está sempre em evolução, assim como a tecnologia.

É preciso implantar uma rotina periódica de avaliação, comparar os recursos de proteção às ameaças e, se necessário, tornar mais compatível e eficiente no controle à vulnerabilidade.

Atenção às tecnologias novas

O setor de TI de uma empresa deve estar sempre alerta ao surgimento de novas tecnologias, já que isso pode alterar as regras da política da empresa e também submeter a segurança da informação a atualizações. 

quais são as políticas de segurança

Que aspectos devem ser considerados na definição de uma política de segurança?

Pode-se definir a política de segurança em seus três pilares, mas também estabelecendo aspectos importantes como: 

  • princípios;
  • compromisso;
  • valores;
  • orientação;
  • responsabilidade;
  • requisitos sobre tudo o que deve ser feito para atingir um padrão satisfatório de proteção de informações.

Acesse o nosso site e encontre uma empresa de segurança da informação de alto nível, que te coloca à frente das ameaças, atuando em detecção e prevenção de riscos.

Conclusão

Uma boa política de segurança da informação é a que oferece fácil entendimento para todos os funcionários de todos os setores da empresa, tornando-se acessível.

O objetivo dessa política é assegurar que a empresa se mantenha segura, com os seus dados protegidos, livres de qualquer ameaça ou ataque. 

As informações de uma empresa devem ser resguardadas e preservadas de todas as formas possíveis, e é aí que entra a atuação da PSI. 

Além de garantir a segurança da informação, essa política também proporciona uma maior transparência e eficiência para qualquer empresa.

Proteja os dados da sua empresa, e através disso, proteja a si mesmo de possíveis aborrecimentos e eventuais prejuízos que podem acontecer no caso de invasão, alteração indevida ou vazamento de dados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.