trojan
Home » Blog » Cibersegurança » Trojan: O que é, tipos, danos e solução

Trojan: O que é, tipos, danos e solução

postado em: Cibersegurança

Introdução

O trojan ou cavalo de Tróia em português, é um tipo de malware muito utilizado por hackers mal-intencionados e tem por objetivo principal criar uma porta de acesso para que outros softwares maliciosos possam invadir um sistema.

É bem como na mitologia grega, onde mandaram um cavalo de madeira como presente aos troianos, mas dentro estava cheio de soldados que tomaram a cidade.

Por isso que esses tipos de vírus são tão eficientes e estão por aí desde os anos 70, pois o próprio usuário é quem clica no arquivo e expõem todo um sistema a invasão hacker.

Então, conhecer bem essa ameaça é fundamental para saber se proteger e principalmente contra-atacar, pois, sua empresa não pode ficar à mercê desse tipo de ataque criminoso.

Confira no conteúdo de hoje tudo que você precisa saber para reforçar a cibersegurança do seu negócio contra trojans e outros malwares que vem no pacote.

Boa leitura.

trojan

O que é um trojan?

O trojan é um dos tipos de malware mais antigos da informática, basicamente por conta da sua alta eficiência na invasão de sistemas.

Imagine que algum colaborador da sua empresa receba um email com uma promoção imperdível, e na euforia nem se dê conta que o remetente é duvidoso e acaba clicando no link da promoção.

Pronto, é só isso que um trojan precisa para invadir uma máquina e ficar ali inativo até ser ativado pelo usuário e começar a causar danos incontáveis.

Estão por aí por tanto tempo, justamente por sua capacidade de evolução constante, que une técnicas de hack social com software maliciosos elaborados para infectar sistemas e extrair informações sensíveis.

Quais são as formas de infecção de trojan?

Esse é um tipo de malware que usa um sistema de opt-in, ou seja, precisa de uma ação ativa do usuário com algum tipo de aceite para que possa se instalar na máquina ou dispositivo.

Pode infectar de várias formas, mas a principais que destacamos são os e-mails com anexos duvidosos, banners com links de promoção “boas demais para serem verdade”, e até downloads de músicas ou vídeos em fontes não convencionais, ou seja, pirataria.

Downloads de arquivos piratas são as fontes de entradas que os trojans mais utilizam, pois é onde o usuário é pego mais facilmente e nem percebe que baixou um vírus junto daquele simples arquivo de entretenimento.

Toda a estratégia dos trojans é baseada em enganar o usuário, e muitas vezes são bem sucedidos, assim como os gregos foram contra os Troianos, por isso, desconfie de toda oferta boa demais para ser verdade, pois normalmente não é.

Quais os principais tipos de trojan?

Das muitas vertentes deste malware específico, algumas se destacam por serem as mais utilizadas, cada uma com objetivo final diferente, mas todas com a função de camuflar a presença do vírus dentro de um sistema.

Conheça os principais tipos e como agem:

– Backdoor

Esse consiste literalmente na abertura de uma porta dos fundos para que outros softwares maliciosos possam adentrar no dispositivo sem que o usuário perceba.

Com uma backdoor aberta, o hacker pode controlar a máquina remotamente sem que ninguém se dê conta de sua presença, e então fazer vários tipos de ações criminosas como roubar dados ou instalar programas que vão tomar conta do sistema por completo.

– Exploits

Este tipo se aproveita de vulnerabilidades de outros softwares para hospedar um javascript malicioso que fará o download de outros malwares para o dispositivo.

São muito utilizados para tomar o controle de sites que possuem alguma brecha na sua instalação ou estejam com algum plugin desatualizado em caso de sites em WordPress.

– Rootkit

Os rootkits são uma evolução dos trojans comuns, pois agem nas máquinas e dispositivos camuflando os traços das ações dos malwares, dificultando a detecção dos mesmos pelo usuário ou programas.

São uma forma sofisticada de manter o trojan ativo sem que seja percebido, tornando-o ainda mais nocivo.

– Trojans dropper/downloader

Basicamente o downloader é um tipo de trojan puxa outros softwares maliciosos para o sistema sem que sejam detectados pelos antivírus.

Os droppers são parecidos com o downloader, porém eles já contêm todos os componentes maliciosos, então entram no sistema, jogam o vírus e pronto, estão todos lá bombardeando o sistema.

Ambos são atualizados remotamente, por isso uma vez dentro do sistema o hacker é capaz de tomar o controle rapidamente.

– DDoS

Esses ataques são os mais utilizados, inclusive em meados de 2020 a Amazon se defendeu de um ataque massivo DDoS contra seus servidores.

O modus operandi desse malware é bombardear o servidor com solicitações emitidas por um ou mais botnets e isso sobrecarrega e paralisa os sistemas.

Utiliza um backdoor para abrir passagem e inicia o ataque em massa para travar os sistemas, por isso é muito danoso para qualquer servidor, até gigantes como o AWS (Amazon Web Services)

trojan danos

Quais danos um trojan pode causar a sua empresa?

Os prejuízos de um trojan para uma empresa podem ser incalculáveis dependendo de quanto tempo demora para ser detectado. 

Um hacker habilidoso e mal-intencionado precisa de pouco tempo para fazer um belo estrago e sequestrar dados da empresa e de seus clientes, por isso todo cuidado é pouco.

Em geral, o objetivo desse malware é causar o máximo de danos a um sistema e entre seus principais alvos estão as empresas, e o que começou com as gigantes, hoje já atinge as menores, pois os hackers viram que é possível se beneficiar destes também.

Por ser uma estratégia eficiente, a utilização do trojan é comum, e uma vez dentro dos sistemas causarão o máximo de prejuízo que forem capazes e podem inclusive associar com um ataque ransomware para cobrar um resgate e tirar dinheiro do empresário.

Portanto, quanto aos trojans, o foco tem que ser na prevenção, pois como são uma força destrutiva, é imprescindível que sua entrada seja barrada e mesmo que por ventura entrem, a detecção e a resposta precisam ser imediatas para mitigar danos.

trojan como detectar

Como saber se sua empresa foi atingida por um trojan?

Como dissemos, toda a estratégia desse malware envolve se camuflar e não ser percebido até que seja tarde demais, porém os trojans costumam deixar alguns traços quando afetam um sistema no seu uso do dia a dia.

Alteração nas configurações do dispositivo, lentidão no processamento e extensões de arquivos que não foi você quem baixou, já levantam um alerta quanto a presença de um malware desses.

Se notar o sumiço repentino de programas e arquivos, também pode se tratar da ação de trojans, que costumam agir principalmente na desativação e exclusão dos seus maiores inimigos, os antivírus.

Principalmente hoje em dia com o trabalho remoto, é fundamental que o usuário esteja muito ciente das boas práticas para evitar ao máximo clicar em links ou baixar arquivos que possam trazer um trojan consigo, por isso o treinamento deve ser constante, bem como a implementação de uma boa segurança de endpoints.

O usuário ciente das suas responsabilidades irá não só evitar clicar em links maliciosos, mas também saberá reconhecer quando algo está fora do normal, informando o T.I e agilizando a detecção deste malware.

trojan como evitar

Como evitar a infecção de um trojan?

Nada é mais eficiente que o bom senso do usuário para evitar o máximo de problemas com trojans e outros vírus, mas só isso não basta, afinal você não pode se dar ao luxo de um descuido individual comprometer todo seu sistema.

Ter um bom antivírus e bons firewalls é o básico para começar a ter uma cibersegurança robusta, e associado a isso, mantenha as extensões dos aplicativos sempre visíveis para não ser enganado por uma versão infectada de algum arquivo.

Os malwares e trojans estão sempre evoluindo e sendo aprimorados pelos hackers, então suas máquinas e dispositivos precisam seguir essa linha e estarem sempre com todos os sistemas operacionais e softwares atualizados para mitigar as principais brechas.

Por fim, ter uma solução de cibersegurança completa que analisa links, programas e e-mails antes do download, é sem dúvidas uma ação preventiva que vai reduzir e muito o risco de infecções.

trojan como remover

Como remover um trojan?

Se mesmo com todas as precauções algum trojan escapou e entrou no seu sistema, é fundamental agir o mais rápido possível e contra-atacar com eficácia.

Fazer a remoção manual é uma opção, contudo é uma das mais ineficientes, pois sem saber há quanto tempo o malware está na máquina, fica impossível saber com certeza quais programas e arquivos ele já infectou.

Nesse caso a tarefa é como enxugar gelo, pois por mais que você se esforce e elimine grande parte do trojan, basta um único arquivo remanescente para retomar o controle de tudo novamente.

A solução mais segura é sempre um antivírus que detecta o malware instantaneamente e já atue na remoção ou contenção do avanço, para minimizar os danos.

Mas para a sua empresa, perder qualquer dado pode ser algo extremamente prejudicial, por isso é fundamental conhecer e aplicar soluções por meio de ferramentas que confiram uma proteção mais ampla e eficaz.

E a seguir temos uma opção que pode ser ideal para sua operação, independentemente do tamanho.

Como a Vantix pode te ajudar?

A Vantix é referência em cibersegurança, e temos produtos e soluções para proteger os dados da sua empresa de trojans e outros malwares que possam atingir seu sistema.

Nossas soluções são desenvolvidas pensando em proteção 360º, pois sabemos que a mínima brecha pode ser o suficiente para comprometer todo um sistema, então priorizamos a segurança da informação.

Por aqui sempre reforçamos que a melhor cibersegurança vem da prevenção, e para isso, uma das ferramentas que melhor indica o nível de proteção atual da sua empresa, é o SecurityScorecard.

Ativo no mercado de segurança da informação há 8 anos, esta é a plataforma que faz a melhor avaliação de riscos cibernéticos presentes nos sistemas da sua empresa.

O sistema é simplificado para que você em poucos cliques consiga uma avaliação de segurança do seu negócio, com rankeamento preciso que avalia as principais categorias de cibersegurança.

Integridade do DNS, reputação do IP, segurança de rede, segurança de aplicativos web, discussões de hackers, segurança de endpoint e muito mais itens são analisados e pontuados para você saber exatamente onde agir para proteger seus dados.

Conheça tudo que o SecurityScorecard pode fazer pela segurança das informações da sua empresa,  atuando na correção das brechas de todo seu sistema, ficando assim muito mais seguro contra trojans, malwares e outros ataques hackers que ameaçam a sua operação.

Conclusão     

Em se tratando da cibersegurança da sua empresa, não se pode negligenciar nenhum aspecto, principalmente os trojans que estão ficando cada vez mais sofisticados.

A importância das boas práticas e dos softwares de proteção são óbvias, mas para ter mesmo uma proteção robusta é preciso ir além.

Implemente na sua empresa uma solução que atue em todas as pontas do sistema para dificultar a vida dos hackers mal-intencionados.

Para isso, o já mencionado SecurityScorecard é uma forma de olhar para seus sistemas com os olhos do hacker e principalmente, detectar as vulnerabilidades antes que alguém mal-intencionado faça isso primeiro.

Conhecer as suas fraquezas permite que você as fortaleça antes que outros as explorem, e isso vale para todos os aspectos, mas na cibersegurança é simplesmente fundamental para uma proteção eficiente.

Conheça essa e outras soluções da Vantix que conferem proteção 360º para a sua empresa e trabalhe tranquilamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.