o que é soar
Home » Blog » Cibersegurança » O que é SOAR? [Guia completo]

O que é SOAR? [Guia completo]

postado em: Cibersegurança

O setor de Tecnologia da Informação está sempre em constante expansão e se você faz parte ou tem interesse em conteúdos dessa área, certamente já ouviu falar nessa sigla bastante popular. Mas, afinal, o que é SOAR?

Esse e outros conceitos que englobam segurança tecnológica são o assunto principal deste artigo. 

Aqui, você vai encontrar uma sequência de informações sobre os componentes centrais, usos e diferenças desse recurso para outros encontrados no mercado.

O que é SOAR Security?

O maior bem de uma organização não é necessariamente seu patrimônio físico; os dados de uma instituição são tão ou mais valiosos que isso. 

Por essa razão, é imprescindível olhar para a segurança de informações com olhos protetivos e que prezam pela máxima eficiência dos mecanismos de combate à ataques cibernéticos.

SOAR (Security Orchestration, Automation and Response) nada mais é que um conjunto de tecnologias usado para proteger sistemas de TI contra ameaças.

Ferramentas como o SOAR auxiliam na reação a incidentes de segurança como phishings, DDoS, ransomwares, comprometimento de conta, invasão de emails e vários outros, de forma automatizada. 

Existem três recursos de software muito importantes que são regidos pelo SOAR: gerenciamento de casos e de fluxos de trabalho, automação de tarefas e acesso a meios centralizados de consulta e compartilhamento de informações sobre ameaças. 

Normalmente, o SOAR é instalado de maneira coordenada com o centro de operações de segurança (SOC) de uma organização. 

Em suas plataformas, é possível acionar rapidamente respostas automatizadas que resolvem problemas de segurança e também monitorar feeds de inteligência sobre ameaças.

o que é soar security

Componentes do SOAR

Como citado anteriormente, o SOAR é composto por tecnologias que contêm componentes de execução de variadas atividades. 

Dentre esses componentes, os três mais importantes, que dão nome à tecnologia de segurança, são a orquestração, a automação e a resposta. 

Para entender a função de cada um dentro do todo, continue a leitura.

Orquestração

Chama-se orquestração a fase de gerenciamento de ameaças, integrando diversas tecnologias por meio da conexão de ferramentas de segurança. 

Esse princípio atua em melhorar a eficiência da proteção, pois presta suporte ao ciclo de vida e correção de vulnerabilidades, viabilizando os processos de fluxo de trabalho, relatórios e colaboração. 

Nesta fase, é necessário auxílio de especialistas da área de segurança da informação, já que os sistemas sozinhos são incapazes de fazer certas detecções de invasão. 

Automação

A automação é a próxima fase e é nela que são executadas as ações de fato. Através de ferramentas de segurança instaladas em máquinas com sistemas de TI, é possível uma resposta rápida, eficiente e eficaz a incidentes. 

Anteriormente executadas por humanos, ou seja, com maior margem de erro e em maior tempo, hoje ganham espaço as automações praticadas por bots, como:

  • etapas padronizadas;
  • tomadas de decisão com base em fluxos de trabalho;
  • verificação de status;
  • fiscalização;
  • auditoria. 

Inteligência artificial e Machine Learning oferecem ferramentas que complementam a eficiência nessa etapa, usando linguagem semântica para antecipar ações.

Resposta

Como o nome já antecipa, as plataformas responsáveis pela fase de resposta planejam, gerenciam e rastreiam respostas possíveis a um incidente de segurança.

É nela que se faz necessária uma grande capacidade de avaliação e análise minuciosa de relatórios que possibilitem traçar estratégias de ação de respostas e priorizem categoricamente os riscos. 

O SOAR coleta dados de ferramentas de segurança adversas, o que ocasiona processos como triagem e processamento de dados. Depois dessa etapa, é possível estabelecer a existência ou não de uma ameaça. 

No caso da ameaça se confirmar, são investigadas e corrigidas vulnerabilidades para que novos ataques não aconteçam.

Por que o SOAR é usado?

Agora que você sabe o que é SOAR, é importante saber que ele representa diversos recursos tecnológicos que, combinados e otimizados, formam uma frente de combate resistente e eficiente em riscos à segurança de dados.

Um dos principais benefícios do uso do SOAR se encontra na automação de tarefas, promovendo um aumento na eficiência das equipes de segurança e liberando tempo para que possam se concentrar em outras tarefas. 

Falando de uma forma bastante crua e direta, o mercado não possui profissionais de segurança o suficiente para cobrir a demanda do avanço da tecnologia de sistemas e, por consequência, dos riscos enfrentados a partir dela.

Por que automatizar os processos de segurança?

Com o SOAR, as equipes podem desenvolver mais em menor tempo. 

É um trabalho árduo o do profissional de segurança em tecnologia, já que lida com grande quantidade de ferramentas e soluções que raramente  são integradas umas às outras. 

O gerenciamento de todas elas por meios manuais pode gerar mais tempo até a detecção de ameaças e solução dos problemas. 

Fora isso, há maiores chances de erros de configuração de recursos e aplicação inconsistente de políticas, deixando os sistemas vulneráveis a invasões e problemas de conformidade. 

diferenças entre soar e siem

Quais as diferenças de SOAR e SIEM?

Depois de entender o que é SOAR e porque ele é usado, você deve saber que há outro conjunto de recursos tecnológicos, conhecido como SIEM (Security Information and Event Management). 

Ainda que ambos tenham um objetivo similar, há diferenças expressivas entre um e outro que devem ser consideradas na hora de implementar um sistema de proteção no seu negócio.

O que é SIEM?

SIEM é sigla correspondente à combinação de gerenciamento de eventos de segurança (SEM – security event management) e gerenciamento de informações de segurança (SIM – security information management). 

Assim como o SOAR, as plataformas SIEM oferecem alertas e relatórios provenientes de análises de logs (dados de registro) e de eventos em tempo real, monitorando ameaças, conectando comportamentos e eventos e promovendo respostas a incidentes.

Essa tecnologia possui duas principais funções: 

  • montar relatórios com informações como logins bem ou mal sucedidos, presença e atividade de malwares e qualquer outro possível evento relacionado à segurança e
  • envio de notificações de alerta em caso de atividade anômala, ou seja, risco iminente de um problema potencial em questões de segurança.

E como o SOAR atua no ambiente de TI?

Para ter clareza sobre o que é SOAR, é preciso compreender como o recurso atua no ambiente de TI.

Neste ambiente, o SOAR atua de forma bastante similar ao SIEM, efetuando a coleta e análise de dados, mas em comparação, o SIEM é muito mais limitado.

O SOAR vai além dos recursos do seu colega, adicionando à coleta e análise de dados, padrões, gerenciamento de eventos, fluxo de trabalho e outros tipos de análises, possibilitando às  empresas maior intensidade em recursos de defesa.

SIEM e SOAR trabalhando em conjunto

É possível trabalhar com os dois recursos sendo aliados? A resposta é um grande sim!

Recomenda-se fortemente o alinhamento das duas estratégias em prol de uma defesa mais resistente e uma resposta mais rápida.

Enquanto o SIEM se responsabiliza pela emissão de alertas ao menor sinal de atividade maliciosa, o SOAR, por sua vez, gera no sistema um aviso de incidente, iniciando o processo que passa pelos três componentes vistos anteriormente.

Ambas as plataformas têm sua importância, mas principalmente falando do SOAR, um conjunto de recursos mais completo, pode-se dizer que é um imenso maximizador do potencial de segurança da informação dentro de uma empresa.

Com ele, é possível economizar tempo de resposta, além de promover uma melhor qualidade dela, mais completa, e proporcionando correção inteligente de possíveis incidentes cibernéticos.

Como o SOAR pode ser útil?

O SOAR é de extrema utilidade para empresas que precisam investir em segurança de dados e informações. 

Os programas de SOAR, por serem automatizados, não exigem alto nível de supervisão humana, eles por si só são eficientes em detectar ataques reais ou eventos maliciosos de vários tipos.

O tempo aplicado na investigação e mitigação pode ser usado de forma muito mais eficiente e útil pela equipe de segurança, otimizando o fluxo de trabalho e a oportunidade de ir mais além em outros recursos da área.

Os recursos disponibilizados pelo SOAR podem se integrar a uma rede maior e mais ampla de plataformas de segurança e de tecnologia da informação, criando um nível de flexibilidade maior nas operações de segurança em qualquer tipo de organização.  

Nesse conjunto de tecnologias, há o mínimo de interrupção e, simultaneamente, o aumento da segurança e da eficiência do sistema.

vantix

O que avaliar antes de implantar soluções de SOAR?

Agora que já sabe o que é SOAR, é preciso entender o que avaliar antes de implementar essa solução.

Antes de tomar sua decisão, alguns aspectos não podem passar despercebidos nem ficar fora da análise. 

No quesito requisitos imprescindíveis, podemos destacar os controles que tem por base auditoria de informações e legitimidade de acessos, sempre autenticados pelo sistema e firmados pela equipe de segurança.

Primeiramente, é importante que a plataforma inclua alguns fluxos de trabalho já pré-configurados, oferecendo um guia referencial aos especialistas da área que ainda não tiveram contato com esse tipo de recurso, porém também deve viabilizar modificação de fluxos e personalização conforme demanda.

Segundo as necessidades de cada negócio, é possível flexibilizar e adaptar o conteúdo do conjunto, assim como promover a integração com outras soluções digitais provenientes de recursos terceiros.

Outro aspecto de influência antes de tomar a decisão pela implantação é garantir que a colaboração dos recursos é facilitada, ou seja, que possui um acesso granular por painéis de dados live (em tempo real), possuindo ferramentas que orquestrem em diversos níveis, funções e equipes um bom trabalho em segurança operacional.

Mais uma capacidade fundamental a ser avaliada é a possibilidade de automatizar processos. 

É necessário, primeiramente, que haja automatização de fluxos de trabalho e boa execução de políticas de segurança e, posteriormente, seja possível a implementação de rápida remediação de vulnerabilidades e ameaças de ataques.

Por último, porém não menos importante, deve-se contar com a possibilidade de operacionalizar dados de segurança, promovendo integração de ferramentas de análise e rápida concessão de relatórios, com cenários a partir de modelos estabelecidos.

Acesse o site da Vantix Tecnologia e encontre especialistas em Governança e Privacidade de Dados, prontos para orientar e resolver todas as suas dúvidas com soluções inteligentes em segurança digital.

Conclusão

A partir do SOAR, recurso definitivo e de grande valia quando o assunto é segurança digital, mesmo empresas de menor estrutura e com budget limitado para mecanismo de tecnologia da informação é possível alcançar uma gestão concreta e eficaz no combate a eventos maliciosos, como ataques, invasões e vazamentos.

Gerenciando a resolução de pontos vulneráveis com respostas rápidas, integrando os ativos de tecnologia a interação humana e oferecendo uma minimização de riscos em caso de legitimidade de ações cibercriminosas, o SOAR é a ferramenta ideal para proteger seu maior patrimônio: seus dados.

Agora que você já tem todas as informações sobre o que é SOAR, descubra junto à Vantix a melhor forma de proteger você e sua empresa contra crimes de internet.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.