pentest
Home » Blog » Cibersegurança » Pentest: O que é, para que serve, tipos e como aplicar

Pentest: O que é, para que serve, tipos e como aplicar

postado em: Cibersegurança

Tentativas de invasão a sistemas acontecem literalmente a todo segundo na internet, seja por softwares maliciosos ou por hackers interessados em roubar dados.

O que talvez você não saiba é que existe o hacker do bem que pratica o pentest.

Mas que raios é isso? Calma que a gente explica.

Penetration Test (teste de penetração) é uma forma de expor aplicações, ferramentas, servidores e afins, a possibilidades de invasão de hackers para testar e diagnosticar todas as vulnerabilidades de um sistema online e off-line.

São ferramentas e profissionais que têm o objetivo de encontrar pontos de brecha para que possam ser corrigidos antes de serem atacados de verdade por alguém mal intencionado.

Então venha entender um pouco mais como funciona o pentest e também descobrir porque ele é tão importante para uma cibersegurança eficiente.

Boa leitura.

Desde que a internet passou a ser um ambiente de negócios que movimentam as economias mundiais, os ataques hackers têm ficado cada vez mais sofisticados em busca de informações comprometedoras de empresas.

O roubo de dados, senhas e até de dinheiro mesmo, têm sido comuns, mesmo as empresas investindo muito em segurança de dados, pois a menor das brechas pode ser explorada por um hacker experiente.

Existe uma frase famosa no mundo da cibersegurança que diz mais ou menos assim: para o hacker ter sucesso só é necessário ter o tempo e a paciência suficientes.

Ou seja, se um sistema é muito atacado, é questão de tempo até aparecer uma vulnerabilidade que pode ser explorada, e é aí que o pentester entra na jogada.

pentest hacker cybersegurança

O que é o Pentest (Teste de Penetração)?

Basicamente é pagar para ser hackeado.

Por mais estranho que pareça, é mais ou menos isso, pois o pentest serve para que o empresário encontre todas as vulnerabilidades do seu sistema, antes que alguém mal intencionado faça isso primeiro.

– Para que serve o Pentest?

A ideia é testar os sistemas de uma empresa à exaustão até que alguma brecha apareça e dessa forma possa ser corrigida, ou ao menos entrar em algum plano de contenção até a solução ser encontrada.

Como funciona o Pentest?

Pode ser feito por softwares especializados em achar falhas e já existem alguns muito famosos no mercado, mas também pode ser feito por um profissional especializado.

O chamado “hacker ético” é o profissional de cibersegurança especialista em encontrar e listar vulnerabilidades em sistemas e aplicações das mais variadas.

Em alguns casos o próprio profissional pode colaborar com a solução, caso já tenha o plano de ação adequado.

– Quais são as fases?

Existem alguns protocolos que o pentester pode seguir, dependendo do tipo de sistema que estiver lidando e da modalidade da ação, mas em geral o passo a passo é semelhante, vamos a ele:

1. Planejamento:

Nessa primeira fase a empresa entra em acordo com o profissional para liberar os acessos necessários para iniciar os testes. 

Geralmente entra algum tipo de termo de confidencialidade para proteção das informações, afinal quanto mais acessos mais assertivo o processo.

2. Reconhecimento:

Aqui o profissional faz o levantamento de todo o ambiente da empresa para uma análise mais completa. Servidores, portas, SOs, aplicações de segurança e tudo mais que engloba o ambiente digital e físico da empresa.

3. Pentestes:

O reconhecimento já dá uma boa ideia ao analista dos pontos em que pode iniciar os ataques, e principalmente por onde começar. 

É interessante atacar os pontos mais críticos para diagnosticar as maiores vulnerabilidades. Depois parte para testes mais direcionados, indo item por item para tentar invasões variadas, incluindo brute force dependendo da aplicação a ser analisada.

4. Análises dos sistemas

Todas as aplicações, softwares e sistemas de uma empresa devem ser analisados em tempo real para que sejam detectadas possíveis brechas na segurança da informação durante seu uso cotidiano.

Mesmo os sistemas de controle financeiro não ficam de fora, pois para um hacker experiente, toda porta pode ser explorada, e uma vez dentro ele pode pular de uma aplicação para outra facilmente, então melhor não dar margem para erro..

5. Documentação e feedback

Não basta encontrar vulnerabilidades, é preciso listá-las de preferência em ordem de prioridade. 

Nada deve ficar de fora do relatório e junto a ele é importante um feedback do profissional para apontar as percepções dele quanto ao uso dos sistemas por parte dos colaboradores.

Dessa forma é possível criar um mapeamento completo das brechas e entregar um documento que vai pautar o plano de ação do time de cibersegurança da empresa.

pentest e sistema físico

Quando o Pentest deve ser aplicado?

Idealmente a cada implementação de um novo sistema, um teste de penetração deve ser feito, bem como nas suas atualizações.

Como já mencionamos, os hackers evoluem tão rápido quanto a tecnologia disponível, por isso, vulnerabilidades podem surgir ao longo do tempo, o que faz do pentest uma necessidade periódica.

Inclusive, empresas gigantes como as famosas “big techs” deixam uma seção em seu site para que hackers éticos possam submeter vulnerabilidades encontradas e ganhar recompensas pela descoberta.

Essa é uma forma interessante de ter sempre um pentest acontecendo e a empresa se mantém ativa na resolução dessas brechas.

pentest hacker ético

A importância do Pentest para a segurança das empresas

Dentro do segmento de segurança da informação a profissão de pentester é uma das que mais cresce e que melhor remunera, pois cada vez mais os dados de uma empresa tem sido seu maior ativo.

Além de diagnosticar problemas sistêmicos, tem outra faceta do teste que é muito importante, a identificação de brechas para hacks sociais.

Por exemplo, mesmo com a empresa fechada e os computadores desligados, um hacker esperto pode convencer um funcionário que precisa entrar na empresa pois esqueceu algo. 

É tempo suficiente para colocar um pendrive em uma das máquinas e deixar um malware operando.

Essa modalidade de hack social é mais comum do que você imagina e pode acontecer de várias formas, tanto físicas como citamos, mas também via links por email ou chat, onde o hacker manipula um colaborador que está usando o computador na empresa, e o faz clicar em um simples link que compromete toda  a segurança da rede.

Por isso é muito importante que todos os funcionários estejam bem cientes dos procedimentos de segurança, então invista num bom compliance.

Quais são os tipos de Pentest?

Existem alguns tipos de pentest que podem ser implementados na sua empresa, e cada um deles vai demandar um nível específico de compartilhamento de informação.

Quanto maior o acesso do pentester, mais assertivo o processo, porém cada caso é único, então entenda as opções e escolha a mais adequada para sua realidade:

– White Box

Essa é a opção de maior abertura, então o pentester recebe informações das ferramentas da empresa, suas redes, aplicações de segurança e até da topologia da rede, IPs, hierarquias de usuários, logins e senhas.

É a opção mais escolhida em média, pois realmente esmiúça todas as possibilidades de brechas e auxilia na elaboração de uma proteção bem mais completa.

– Black Box

Nesse tipo de teste, nada do ambiente digital da empresa é revelado, então o hacker tem que ir “no escuro” e cavar muito até encontrar alguma irregularidade.

É uma forma de emular uma situação real, ou seja, observar como que as tentativas de ataque ocorrem quando o hacker não tem informações.

O problema é que nesse caso muitas informações e ferramentas ficam fora da análise, o que deixa ela muito superficial para o que se propõe.

Em todo caso, é uma opção para testar os seus sistemas e aplicações sem ter que revelar muitos dados, o que em alguns casos pode ser necessário.

– Grey Box

Um meio do caminho entre as opções, neste tipo de teste é revelado ao hacker algumas informações relevantes e talvez até o acesso há alguns sistemas e ferramentas.

No entanto, informações mais sensíveis e aplicações vitais normalmente ficam de fora, como os sistemas de controle financeiro ou até dados jurídicos em caso de escritórios de advocacia, por exemplo.

A melhor opção vai depender muito do que seu negócio precisa para o momento, porém o ideal é encontrar o máximo de brechas possíveis até para que possam ser resolvidas.

Como aplicar um Pentest?

Pode ser feito tanto via software quanto por um profissional como já citamos, e ambos são estratégias legítimas para uma boa análise.

Muitos tipos de ataques hackers e de malware já são bastante conhecidos e estão devidamente mapeados, então para esses casos mais comuns um bom software já detecta e até corrige essas brechas.

No entanto, para um teste mais profundo, é importante ter um profissional atuando, ainda mais se for um experiente, pois há brechas tão específicas que só uma análise minuciosa consegue encontrar.

Isso sem falar dos hacks sociais, que muitas vezes são negligenciados e se tornam o calcanhar de Aquiles da segurança de dados de muitas empresas.

Agora, o melhor dos dois mundos é ter um software pentester atuando de forma ininterrupta para encontrar vulnerabilidades, e junto a isso ter a assessoria de uma profissional de cibersegurança, assim a proteção fica bem mais completa.

Quanto a isso, a Vantix pode te auxiliar dos dois jeitos.

pentest análise completa

Como a Vantix pode te ajudar?

A tecnologia é o principal motor de sustentação e de inovação para as empresas, por isso nós estamos em constante aprimoramento de nossas tecnologias de segurança de dados, mas também buscamos profissionais altamente capacitados para entregar excelência na prestação de serviços.

E quando o assunto é pentest, temos uma solução muito completa que pode oferecer proteção adequada para o sistemas da sua empresa, independentemente do tamanho dela.

O Cymulate é um dos nossos produtos mais completos de segurança de dados e atua tanto com a expertise dos nossos profissionais, quanto com um software robusto que checa diariamente os seus sistemas em busca de possíveis brechas.

Primeiro é feito o teste de penetração conduzido por especialistas que vão avaliar a infraestrutura dos sistemas da sua empresa para detectar as vulnerabilidades mais gritantes.

Depois entra o time que vai fazer uma série de ataques para testar a resistência das proteções vigentes. É uma etapa mais minuciosa que vai testar os sistemas a exaustão.

Por fim vem o Cymulate que leva os ataques de simulação direcionados a um novo nível, mensurando de fato se seus sistemas estão prontos para aguentar uma gama variada de ameaças e responder a elas de forma eficiente.

É uma plataforma sofisticada que simula uma infinidade de possíveis ataques hackers de forma ininterrupta e oferecendo relatórios detalhados em tempo real com planos de ações claros e eficazes

Além disso, ele age automaticamente em cima das brechas encontradas para remediar a situação.

E tem muito mais que o Cymulate pode oferecer, por isso conheça todos os atributos dessa solução incrível de segurança da informação que só a qualidade Vantix pode oferecer.

Conclusão

Implementar um pentest na sua empresa é pôr a prova todo seu sistema de segurança da informação invés de ficar apenas “rezando” para que ele funcione quando um eventual ataque ocorrer.

No mundo digital testes, atualizações e aprimorações fazem parte do dia a dia de todos os sistemas, afinal os avanços dessa tecnologia ocorre numa velocidade avassaladora.

Então, sair na frente e testar as vulnerabilidades da sua empresa é uma forma de proteção muito mais eficiente do que agir só quando o estrago já foi feito.

Informações preciosas, dados de clientes e até acesso a contas bancárias, tudo isso fica armazenado em sistemas online hoje em dia, imagine então com metaverso, 5G e todas as inovações que estão chegando, a quantidade de dados privados que serão produzidos a cada segundo.

Por isso, implementar uma estratégia de pentest na sua empresa é imprescindível para garantir a segurança da informação. Adquira uma solução que seja perene e tenha a assessoria de profissionais altamente capacitados, conheça o Cymulate e coloque mais essa camada de segurança na sua operação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.